Advertisement Rainha de África, Luanda - 15 Destinos

Rainha de África, Luanda

Rainha de África, Luanda

Está quase sempre nos primeiros lugares da lista de cidades mais caras do mundo, a antiga São Paulo da Assunção de Luanda. Hoje é por Luanda que é conhecida, sendo, de longe, a mais importante cidade de Angola e uma das capitais africanas mais pujantes e populosas.

 

 

Estima-se que perto de oito milhões de pessoas vivam neste centro empresarial e urbano junto ao Atlântico. Entre eles muitos portugueses que aqui chegaram em busca de trabalho e de salários mais elevados. Foi assim até há bem pouco tempo, sendo que hoje Luanda e Angola vivem dias de transição, seja na economia, na sociedade ou na política.

É nesta cidade de contrastes, entre habitantes muito ricos e pobres, de frente para a ilha que lhe deu nome, que encontramos o resultado de mais de 40 anos de independência de um país que sofreu dois conflitos sangrentos (colonial e civil) para chegar a ser apontado como milagre financeiro no continente africano.

Mas não é apenas o dinheiro que faz mover a capital angolana, são as pessoas que lá vivem, trabalham e conseguem tempo para descobrir todas as belezas naturais das redondezas, mas também do resto do país.

A Marginal é um dos locais mais procurados para quem procura manter-se em forma sob o calor de Angola. Oficialmente conhecida por Avenida 4 de Fevereiro, aproxima os edifícios modernos do mar da baía da cidade. E lá está a ilha, com as suas praias de areia branca e águas transparentes, onde também não faltam coqueiros para compor o cenário. É na ilha que, ao fim de semana e nos meses de verão, tudo se transforma em festa graças aos bares e restaurantes que lá existem. Mas a animação nunca fica por essas épocas. Há que contar com o Carnaval da cidade e com a festa de Ano Novo.

Fora de Luanda mas suficientemente perto para se passar o dia, outros lugares surgem como opções. Entre eles, a praia de Cabo Ledo, o Mussulo ou a barra do Kwanza. É para lá – e para outros locais – que “fogem” os profissionais de empresas de grande renome como Unitel, Sonangol ou Odebrecht Angola, todas elas motores do desenvolvimento do país. Desde o fim da guerra civil, em 2002, que a capital e o país têm assistido a esta mudança de paradigma.

Afinal, estamos a falar de um dos países mais ricos do mundo em termos de subsolo. Petróleo e diamantes são dois exemplos, a que se junta a fertilidade do solo para produzir café ou açúcar. E para quem não dispensa compras e lazer citadino, há que contar com o centro comercial Belas Shopping (inaugurado em 2007), as suas salas de cinema e o Luanda Fashion Center, um ponto de encontro para quem não vive sem as últimas tendências da moda.

 

BI
Moeda:
Kwanza AOA (1 Euro: 183 AOA)
Quando ir: De junho a outubro são os meses mais secos. Em março e abril, a tendência é para que chova.
Língua: Português
País: República de Angola