Advertisement Cidade do Cabo, um sabor a férias - 15 Destinos

Cidade do Cabo, um sabor a férias

Cidade do Cabo, um sabor a férias

A segunda cidade mais populosa da África do Sul, depois de Joanesburgo, é também a capital legislativa do país do arco-íris sonhado pelo estadista Nelson Mandela.

Famosa pelo seu porto, pela montanha que lhe serve de cenário e pela proximidade à região dos vinhos, a Cidade do Cabo é um ponto de encontro entre Europa e África, com influência das Américas.

Foi uma das cidades-sede do Campeonato do Mundo de futebol em 2010, evento que deixou uma marca importante na paisagem urbana, o estádio de Cape Town, com capacidade para 55 mil pessoas e aberto ao público para um circuito de visitas. Fica entre o bairro de Green Point e a Table Mountain, à qual se acede por teleférico desde 1929. É um dos locais mais visitados da África do Sul, com cerca de um milhão de pessoas por ano a escolherem este meio de transporte aéreo para tirar partido das belas vistas sobre a baía, a área urbana e a imponente formação rochosa.

Em 2014, a cidade foi Capital Mundial do Design e isso sente-se quando se passeia pela vibrante Long Street, excelente ponto de partida para mergulhar na vida real da Cidade do Cabo. As fachadas vitorianas desta longa artéria comercial deram-lhe fama e não faltam bares, lojas de roupas usadas, cafés ou restaurantes para todos os gostos. O bairro de Gardens é outra opção a reter com os seus jardins e hotéis design. O bairro Malaio, Bo-Kaap é um dos mais famosos da cidade, já que combina casas coloridas em estilo Art Déco com minaretes de mesquitas e ruas onde não falta gente de todas as cores e credos.

Junto ao mar, destaque para o Victoria & Albert Waterfront, zona portuária com uma torre de relógio como ex libris. É uma das zonas mais tranquilas da cidade, não faltam lojas de marca, cafés convidativos, bons restaurantes e hotéis, sem esquecer que é daqui que partem os barcos para a ilha de Robben, o antigo presídio para onde foi enviado Nelson Mandela durante a época do regime segregacionista do Apartheid. A viagem e a lição de história valem bem a pena.

Esta é igualmente uma cidade rodeada de praias e de vinhas. Muizenberg, nos arredores, é um bilhete-postal sobejamente conhecido, com as suas coloridas barracas de praia. Campus Bay, o subúrbio mais caro a par de Constantia, é um local de diversão onde não faltam palmeiras, uma avenida marginal recheada casas que valem milhões e uma vida noturna invejável. Quanto às vinhas, todos os caminhos vão dar (a viagem é curta, sensivelmente de uma hora) a Stellenbosch, e Franschhoek, que formam a região conhecida por Cape Winelands. Faça as provas, durma num enoturismo e aproveite tudo o que a região tem para oferecer.

O navegador português chegou a esta costa e ultrapassou-a, chegando ao outro lado de África em 1488. Transformou as Tormentas em Boa Esperança. E percebe-se bem porquê, é um destino de eleição.

BI

Moeda: Rand ZAR (1 euro – 16 ZAR
Quando ir: No inverno do hemisfério Norte, as temperaturas são mais altas. No nosso verão, prepare-se para o frio.
Língua: Onze idiomas oficiais onde se destacam Zulu, africâner, inglês

País: República da África do Sul